Pesquisar blogs

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Stress animal.

Em Dezembro de 2010 realizei um pequeno estágio na UFV (Universidade Federal de Viçosa) em seu Centro de Triagens de Animais Silvestres (CETAS), onde ministrei uma pequena palestra sobre: O stress em animais silvestres.
Nesta publicação, falaremos um pouco sobre o assunto.





O stress tem sido um dos grandes males do século e quem pensa que ele afeta somente nós humanos, engana-se, os animais e plantas tem sofrido com este problema.
Stress em animais são alterações mentais e psicológicas que ocorrem quando o animal se sente ameaçado, podendo estar relacionado a um local barulhento, inadequado, etc.
Principais sintomas:
Arrancamento das penas.

Alterações de apetite - geralmente diminuição ou ausência, mais raramente excesso.
Apatia ou agitação extrema.
Excessiva agressividade contra outros animais ou o dono.
Tentativas contínuas de fuga - o animal se debate contra grades ou telas, às vezes ferindo-se gravemente até a morte;
Comportamentos deslocados como coprofagia, autoflagelações, arrancamento de pelos ou penas, tentativas constantes de cópula, etc.
Infanticídio e/ou canibalismo de filhotes, após o parto.

Canibalismo do filhote.
Tratamento:
Modificar o ambiente em que o animal vive.
Respeito e cuidado ao animal.
Predadores longe das presas.
Enriquecimento ambiental – proporciona melhorias nos instintos dos animais.
Monitoramento e acompanhamento do animal por profissionais adequados. (Biólogo, médico veterinário, etc.)
Fique atento, qualquer comportamento anormal, procure o auxilio de um profissional devidamente qualificado. Seu animal de estimação agradece.

Obs:
Sacanear com seu animal contribui bastante para o desenvolvimento de stress.


        


         Demétrius A. Silva

Um comentário:

juscilandia disse...

O stress pode ser causador e agravador de varias doenças em nos humanos, acredito que nos animais nao seja muito diferente...nem os pobres animais estao livres das pressoes do meio no qual vivemos!