Pesquisar blogs

sábado, 10 de março de 2012

Festividades Bíblicas



Os hebreus eram povo de origem povo de origem semita (os semitas compreendem dois importantes povos: os hebreus e os árabes), que se distinguiram de outros da antiguidade por sua crença religiosa. O termo
hebreu significa "gente do outro lado do rio”, isto é, do rio Eufrates. Costumavam celebrar anualmente três grandes festividades religiosas, às quais estavam obrigados a assistir todos os varões da nação. (Êx. 23:14-17).

Páscoa, ou Festa dos Pães Asmos.
Na véspera da saída do Egito, cada família israelita matou um cordeiro, e havendo aspergido os umbrais e portas das casas com seu sangue, comeu a carne assada, segundo as instruções de Moisés; o sangue na porta era o sinal para que o anjo destruidor, passando por aquela casa, não matasse o primogênito. Posteriormente os israelitas comemoravam sua emancipação da escravidão e de sua saída do Egito com uma cena idêntica. A páscoa se inaugurava com santa convocação e grande solenidade e cerimonial, desde 14 até 21 de Nisã. O cordeiro pascoal se comia no começo do dia 15, e no dia seguinte se ofereciam as primícias da cevada, designando-se outros serviços especiais, para os demais dias que durava a festa.
Nosso Senhor, depois de celebrar a páscoa pela última vez, que realidade tipificava seu sacrifício vicário a favor da humanidade, instituiu a festa cristã, na qual seus seguidores deviam comemorar sua morte até sua próxima vinda (Êx. 12:1-51 e 1 Co. 5:7).

Pentecoste, ou festa das Semanas ou dia das Primícias.
Constituía a segunda das três grandes festividades anuais, e a primeira das festas agrárias. Ocorria no dia 6 de Sivã, isto é, o quinquagésimo dia depois da consagração de estação da colheita, mediante o oferecimento do primeiro feixe de cevada, que costumava oferecer-se no segundo dia da festa da páscoa, o qual deu origem ao nome de Pentecoste ou dia Quinquagésimo. Foi instituído como dia de expressão de graças a Deus pela colheita de cereais, que na Palestina geralmente se recolhem durante o período de tempo transcorrido entre a páscoa e a festa em referência. Semelhante festim, de repouso santo e regozijo, não deixavam de impulsionar o povo a uma consagração mais completa ao Senhor, e uma generosa hospitalidade para com os necessitados.
A festa de Pentecostes mais notável foi aquela que se celebrou depois da ascensão de Cristo, em que o Espírito Santo foi derramado sobre os congregados no Cenáculo e que assinala, por sua vez, a data da  fundação da Igreja Cristã (Êx. 34:22; Lv. 23:16; At. 2:1).
Festa dos Tabernáculos.
Ainda que fosse uma festa preeminentemente agrária, celebrada no mês de Tisri (Etanim), desde o dia 15 a 21, em que se armazenavam as frutas, nozes e azeites (por isso costuma chamar-se a “Festa da Sega”), comemorava ao mesmo tempo um acontecimento histórico, a saber, os 40 anos que os israelitas andaram errantes no deserto. Enquanto durava a festa, o povo vivia em cabanas, construídas a propósito com ramos de árvores, nos eirados e pátios das casas e ainda nas ruas, constituindo-se assim numa ocasião de grande alegria e ação de graças (Lv 23:40-43 e Ne 8:14-18).
Outras festas anuais celebradas pelos hebreus eram:
Trombetas.
Observada no 1° dia do sétimo mês do ano sagrado, ou seja, o primeiro do ano civil anunciava o início do ano ao som da trombeta. As oferendas especiais queimadas ao Senhor eram destaques. Festejada com grande solenidade e abstenção de todo trabalho servil, destinava-se os recolhimento do povo para com Deus (Lv 23: 24,25).
Purim.
Chamada assim pelo nome Pur, que quer dizer “sorte”, instituída depois do cativeiro, comemorava a libertação providencial dos judeus da Pérsia, do cruel massacre idealizado por Hamã. Era celebrada nos dias 14 e 15 de março (Et. 9:20-32).
Dedicação.
Instituída por Judas Macabeu, em 165 AC para celebrar a purificação do templo, depois de javer sido profanado com a introdução nele da idolatria grega, por Antíoco Epifanes IV. Realizava-se a 25 de dezembro (Jo. 10:22).
 Continua...

Demétrius A. Silva

Fonte de pesquisa e imagem:
Bíblia de Estudo de Genebra
Geografia Histórica do Mundo Bíblico

4 comentários:

JCavalheiro disse...

Meu prezado amigo e irmão Demétrius! A Paz do Senhor!!
Como sempre, e como seguidor, não poderia deixar de passar por aqui para ver mais um excelente texto da sequência histórica educativa que o estimado irmão vem postando.
A origem das festividades judaicas e em especial da Páscoa, que por motivos óbvios também é comemorada pelo Cristianismo, merece este bem fundamentado estudo. Cada vez um menor número de cristãos tem conhecimento da origem desta comemoração e de certa maneira equivocadamente, levados pelo consumismo, estão alheios ao real motivo e simbologia desta festividade judaico-cristã.

Deus abençoe e conceda-vos um excelente final de semana.
Na Paz, vosso irmão em Cristo...

João Q. Cavalheiro

Wilderlan Sousa disse...

Ja estou seguindo seu blog. Muito legal seu blog, parabens continue assim. abraços e fica com Deus!

Demétrius A. Silva disse...

Seja bem vindo Wilderlan. Muito obrigado pelas palavras, é uma honra recebê-lo como seguidor.
Abrçs.

Demétrius A. Silva disse...

Meu caro amigo e pr. João Q.
Publicar seus cometários muito me alegra. Glorifico ao Nosso Deus por sua vida e ministério.
Que Cristo Jesus continue a abençoar-te abundantemente.
Abrçs do amigo e irmão na fé...